11
set 2013
0
comentários

Andy Warhol nas garrafas de Perrier.

Água Perrier da Nestlé ganha embalagem de Andy Warhol

,

Conhecido por usar apublicidade em suas obras, o ícone da pop art Andy Warhol (1928-1987) é autor de pinturas famosas que exibem embalagens das sopas Campbell e da Coca-Cola.

O que pouca gente sabe é que, nos anos de 1980, o artista norte-americano criou mais de 40 trabalhos inspirados na garrafa francesa Perrier, a água premium da Nestlé.

Para reconectar a marca ao legendário artista, a Perrier comemora seus 150 anos trazendo ao Brasil uma edição limitada com quatro versões exclusivas com obras de Warhol.

A novidade estará à venda no país em agosto, na versão em vidro de 330 ml.

Também no mês que vem, a marca lança campanha no Instagram. Para acompanhar e participar, o consumidor deve seguir @societeperrierbrasil e postar uma foto artística inspirada na edição limitada com o hashtag #MeInspireiNaPerrier.

Fonte: Exame.

8
set 2013
0
comentários

Promoção da Adria.

A Adria lança hoje a  sua campanha para divulgar a promoção “Gostoso de Verdade Liggero!”, que envolve sua linha de massas de preparo rápido. A estratégia tem como protagonistas a Nonna, personagem usada no lançamento da marca, e o ator Malvino Salvador, que também estará presente em algumas ações da promoção.

No filme desenvolvido pela QG Propaganda, a Nonna prepara Liggero! para o ator, que atesta o “sabor de verdade” do macarrão. Depois, a dupla explica a dinâmica da promoção, que que começou no dia 2 de setembro e teve o conceito criado pela NewStyle.

O plano de mídia conta com inserções na TV aberta em rede nacional, além de mídia exterior com vinheta de 15 segundos em ônibus, peças aplicadas em busdoor, painéis de metrô e trem.

-

Fonte: propmark

COMENTÁRIO

Um carro no final, ótimo. Mas só 60 prêmios? Parece que não acreditam na promoção.

JJ

6
set 2013
0
comentários

Futebol Melhor no Mobile.

O Movimento Por Um Futebol Melhor, liderado pela Ambev, vai lançar nos próximos dias um aplicativo para smartphones (sistemas IOS e Android) com informações sobre o programa. Os sócios-torcedores vão descobrir os produtos em oferta, as empresas participantes, simular compras e ver os descontos já conseguidos.

.

Fonte: Lance

2
set 2013
0
comentários

Burger King e Pepsi em promoção.

Em parceria, a Pepsi e o Burger King lançam a promoção “Pode ser turbinado”, em que as tampas das garrafas do refrigerante poderão ser trocadas, durante os meses de setembro e outubro, por combos em lojas da rede de fast food.

Os consumidores podem utilizar uma, duas ou três tampas para trocar por produtos grátis no ato da compra de um combo Whooper Simples. Dependendo da quantidade trocada, as tampinhas dão direito a um sundae, um outro sanduíche ou até mesmo um combo completo.

Em seus sites, PepsiBurger Kingdisponibilizarão uma ferramenta de geolocalização com o mapa de todas as lojas participantes. Para saber a mais próxima, basta digitar o CEP ou endereço e a busca indicará o caminho mais curto a ser percorrido.

28
ago 2013
0
comentários

Facebook libera likes e comentários em promoções.

“Comente este post e concorra a um prêmio”. Você já viu uma promoção assim no Facebook? O que poucos sabiam é que este tipo de ação era proibida na rede social de Mark Zuckerberg, que permitia ações promocionais apenas por meio de aplicativos. Agora, algumas modificações foram feitas nos termos de páginas.

Como já foi dito, o Facebook modificou as regras que solicitavam o uso de aplicativos de terceiros para administrar as promoções, agora isso pode ser feito pelo próprio administrador da página.

Quem tiver uma fanpage está liberado para coletar participantes de promoções por meio de likes/comentários num post e mensagens para a fanpage, além de também poder utilizar likes como mecanismo de votação.

O Facebook também ressalta que para promover uma promoção no Facebook é preciso deixar claro suas regras oficiais, os termos que competem à ação, além de estar alinhado com as políticas locais, ou seja, aqui no Brasil, fique atento às novas regras sobre concursos culturais (clique aqui e saiba mais).

É preciso deixar claro que a promoção não é patrocinada, endossada, administrada ou associada ao Facebook.

Timelines pessoais não devem ser usadas para administrar promoções (ex: “Compartilhe em sua Timeline para entrar” não é permitido). Além disso, uma empresa segue proibida de ter um perfil pessoal.

O anúncio do Facebook levanta questões como: já que os likes poderão ser utilizados como mecanismo de votação, como eles irão lidar com o uso de fakes? O anúncio de tais mudanças possui relação com o comunicado liberado ontem pela rede? Nele, a empresa de Zuckerberg afirma que apenas “conteúdo de alta qualidade” irá aparecer no news feed do usuário. Isso excluiria posts de promoções? Mesmo com milhares de curtidas?

E é sempre bom ressaltar que o Facebook liberou, mas no Brasil o buraco é um pouco mais embaixo.

.

Fontes:  Facebook e Adnews

26
ago 2013
0
comentários

Coca-Cola faz miniaturas dos consumidores em 3B, em Israel.

—-

Uma ação da israelense Gefen, para promover o lançamento das garrafas em miniaturas da Coca-Cola,  cria réplicas dos consumidores utilizando a tecnologia 3D

Ou seja, miniaturas das pessoas, para promoção de miniaturas.

A marca construiu um laboratório de impressão 3D na principal fábrica de Israel. Os consumidores criavam versões minis de si mesmos em um aplicativo móvel e, os melhores, eram chamados para a fábrica e ganhavam suas réplicas impressas.

Muito criativa e original.

JJ

22
ago 2013
0
comentários

Nas Lojas Americanas…o abuso.

História curitibana. Cliente das Lojas Americanas se interessa por um sofá de canto, anunciado na internet por 649,90. Decide até pagar à vista, com mais desconto. O valor real é R$ 1.199,90. Vai fechar a compra, quando se depara com o valor do frete: R$  840,00!!! Alterado com tal enganação, entra em contato pelo tele-vendas para conferir. Aí escuta o seguinte absurdo: “É isso mesmo! A distância é grande… tem interesse em outro produto?” O interesse, naquele momento, foi o de mandar a loja para a tonga da mironga do kabuletê, além de colocar enfiar o sofá no… canto que ficar bem socado. O caminho do Procon foi o escolhido.

Blog do Zé Beto

.

19
ago 2013
0
comentários

Enquanto isso, no Walmart…

WalMart e Samsung colaborando com a educação.

É HOME THEATER

….

10
ago 2013
0
comentários

Walmart liquida produtos vencidos, em Curitiba

Fonte: facebook da Chris Cruz

10
ago 2013
0
comentários

Coca-Cola põe música nas latinhas.

Campanha “Quanto mais Rock in Rio melhor” coloca os clássicos do festival nas embalagens de Coca-Cola Zero

A Coca-Cola Zero vai tocar e cantar – literalmente. Depois do sucesso das campanhas com nomes e destinos, a marca traz música e tecnologia para as suas embalagens: a partir de agosto, as latas de 350 ml e garrafas de 600 ml terão um aplicativo inédito, disponível para Android e iOS, complaylists exclusivas contemplando sete estilos musicais diferentes (Metal, MPB, Rock, Pop, Clássicos, Eletrônico e Hip Hop), tendo como ponto de partida o maior festival de música e entretenimento do mundo, o Rock in Rio.

Todas as playlists terão músicas de bandas que já tocaram em edições anteriores do festival ou que irão se apresentar na edição deste ano, programada para entre 13 a 22 de setembro. Para ouvir, basta baixar o aplicativo Coca-Cola Zero Música, escanear a sound wave das embalagens de Coca-Cola Zero e colocar para tocar no celular ou tablet. Além de ouvir as músicas, também é possível criar playlists personalizadas de acordo com cada estilo musical e compartilhar nas redes sociais. Para acessá-las pela internet, basta inserir o código promocional presente nas embalagens diretamente no site da marca: www.cocacolazero.com.br.

O conceito no qual se baseiam as novas embalagens é o de “internet das coisas” (Internet of Things), tendência que conecta objetos comuns do dia a dia à internet. “Pense em um mundo integrado, onde cada objeto, até mesmo uma latinha de refrigerante, se conecta, interage com o usuário e fornece inúmeras informações. Para Coca-Cola Zero, uma marca comprometida com a inovação, isso é uma realidade”, afirma Gian Martinez, diretor de Excelência Criativa da Coca-Cola Brasil.

A campanha

Com a campanha “Quanto mais Rock in Rio melhor”, Coca-Cola Zero une música e tecnologia para proporcionar aos jovens de todo o Brasil a possibilidade de participarem do Rock in Rio de uma maneira única. Através de inovação tecnológica, uma edição especial de embalagens de Coca-Cola Zero dará acesso às músicas de maior sucesso do festival.

“Nem todos os jovens conseguem ir ao festival e curtir as músicas. Por isso, acreditamos que é um dever da Coca-Cola Zero possibilitar essa experiência. Com o sucesso da campanha ‘Descubra sua Coca-Cola Zero’, em que colocamos os nomes nas latas, identificamos que o melhor meio que tínhamos de entregar a experiência do Rock in Rio era a própria embalagem de Coca-Cola Zero”, afirma Luciana Feres, diretora de Marketing de Coca-Cola Trademark.

A Ogilvy & Mather Rio, responsável pelas duas últimas campanhas da marca, de nomes e cidades, também assina a “Quanto mais Rock in Rio Melhor”, que conta com filme de TV, Cinemas, Internet, Mobile, além das embalagens participantes. A JWT fez o conteúdo digital e a Mutato, o online.

Fonte: NQM

9
ago 2013
0
comentários

Menos brindes, mais emoções envolvidas.

Menos produtos e brindes, mais experiências e desafios emocionais. Em sua nova edição, a Brazil Promotion acompanha as mudanças que vêm abalando as estruturas do mercado e sugere ao setor o desenvolvimento de ideias mais intensas para aproximação com o consumidor. “Nos últimos anos, vimos empresas de todo o tipo se reinventando, renovando a maneira de pensar, reconsiderando momentos e formas de abordar o cliente, criando estratégias diversas para enfrentar as dificuldades e surpresas que o novo cenário oferece. No marketing promocional, também houve movimentação. É normal perder a direção no início do processo, mas a maioria das empresas já entendeu que precisa estar sempre atenta àquilo que toca o coração do consumidor”, diz Auli De Vitto, diretor-geral da Forma Promocional, responsável pela organização do evento.

Realizada na capital paulista, entre esta terça (6) e quinta-feira (8), a Brazil Promotion reuniu cerca de 200 expositores em uma área de 16 mil m², no Transamérica Expo Center. Principal evento em solo brasileiro até a próxima edição da feira, a Copa do Mundo norteou boa parte dos materiais, iniciativas e seminários apresentados. “O setor aposta no primeiro semestre de 2014 e ainda há muito trabalho a ser feito. Somos o país da criatividade. Apesar disso, é comum ver a bandeira e as cores nacionais em produtos fabricados na China. O estrangeiro que visita o país, bem como o próprio brasileiro, quer o contato com a cultura e design nacional, não adaptações generalizadas”, destaca o executivo.

Apresentado como “a maior feira de marketing promocional” do país, o evento ganhará nova assinatura no próximo ano, quando será apresentado como “marketing and retail experience”. Nos estandes e projetos apresentados, a interatividade será ainda mais valorizada. “Atualmente já classificamos o evento como uma feira de marketing de experiência, com foco na propagação da sensibilidade em pontos estratégicos. Esta será uma característica cada vez mais latente”, afirma De Vitto. Estratégias destinadas ao varejo também estão em destaque no programa.

Varejo globalizado?

Das 250 redes de varejo mais importantes do mundo, apenas 19 estão no Brasil. Em outros países da América Latina, o total não é muito diferente: três no Peru, 11 no Chile, 14 na Argentina e 24 no México. Mesmo em potências como China e Estados Unidos, onde há filiais de 45 e 128 redes, respectivamente, há ainda um enorme mercado a ser explorado.

Os dados foram apresentados por Eduardo Terra, vice-presidente do Ibevar (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo) e diretor executivo da UBS Escola de Negócios. “Apesar da existência de sites chineses com versões completas em português e entrega garantida no Brasil, por exemplo, ainda não classificaria o segmento como globalizado. Há, no consumidor, um comportamento cada vez mais global, mas restrições históricas e econômicas influenciam a expansão tardia de muitas redes”, lembrou Terra.

Em seu discurso, o executivo retomou o cenário brasileiro dos anos 70, quando as primeiras redes internacionais desembarcaram por aqui, entre elas C&A e McDonald’s. “De 1980 a 1994 houve uma completa estagnação. Inflação em alta, consumidor imaturo, mercado informal, gestão familiar e salário mínimo de US$ 80, entre outros fatores, podem explicar a situação. O Brasil se recuperava de uma ditadura, a internacionalização era baixa, não havia sequer uma noção de preços relativos. Estabilidade atrai novos negócios, e sem dúvida estávamos longe disso”.

De 1994 a 2013, 15 redes firmaram suas bases em território nacional. Terra prevê que, até 2020, muitas outras se estabeleçam, a começar pela The Cheesecake Factory e Gap, previstas para esse ano ainda, e pela H&M, com inauguração programada para 2014. “Agora temos um novo consumidor, gestão profissional e formalizada, alta tecnologia, mercado competitivo e salário mínimo de US$ 300. Quando planeja internacionalizar sua marca, uma empresa de varejo questiona se o país em vista é de classe média. Hoje, cerca de 70% da população brasileira pertence a esse grupo”, declarou.

Também convidado, Regis Duarte, managing director da Saatchi & Saatchi South America, destacou o posicionamento das marcas diante dessa grande concorrência. O executivo chamou atenção para a análise de comportamento do shopper, segundo ele a figura fundamental do processo, e para a necessidade de uma conexão emocional entre o comprador e a marca.

-

Fonte: propmark

5
ago 2013
0
comentários

Campanha nas esteiras dos aeroportos.

Mais uma campanha em esteira de aeroporto.

Dessa vez, uma ação da Visa em parceria como Museu Nacional

da Nova Zelândia, para promover a exposição “Go back to Pompeii”.

30
jul 2013
0
comentários

Uso de cupons de desconto nos Estados Unidos.

Google-Age-Profile-Coupon-Users-July2013
Usuários de cupom mais jovens são mais propensos do que seus colegas mais velhos para obter cupons através dos canais sociais e mobile, de acordo com[pdf] dados divulgados a partir de um relatório e Google Shopper Sciences.Enquanto isso é um resultado bastante surpreendente, o estudo também mostra que o perfil de idade de um usuário do vale-mail é muito semelhante ao de um usuário do vale de mala direta.
O estudo pediu aos usuários de cupons de pensar das compras que tinha feito nos 90 dias anteriores e identificar quais as fontes que tinham usado para obter qualquer tipo de cupom (s) a fim de receber um dólar ou percentual de desconto.

Segmentando as respostas em quatro grupos etários, o estudo constata que, entre aqueles que obtiveram cupons de e-mail, 19% foram de 18-24 anos e 29% tinham entre 25-34 anos. Essas falhas foram quase exatamente o mesmo que para aqueles que tinham obtido cupons em e-mails, dos quais 19% foram de 18-24 anos e 30% tinham entre 25-34 anos.

Também digno de nota, o grupo combinado 18-34 constituída uma porcentagem ligeiramente maior dos usuários de cupons de jornais (50% do total) que marca os usuários de cupons de sites (48%). Encontrar um cupom em um quiosque da loja também parece ser uma atividade mais inclinada para o público mais jovem do que o uso de cupons recebidos anteriormente na loja.

Sobre os dados: Os dados são recolhidos a partir de uma pesquisa realizada em novembro de 2012 em os EUA, entre 1.000 entrevistados, cada um dos quais tinha usado um cupom nos últimos seis meses, em um ou mais dos seguintes canais: QSR (Taco Bell, Ruby Tuesday , etc); varejo especializado (Gap, Barnes & Noble, Best Buy, etc); CPG / Grocery Retailer (Kroger, Publix, etc); Big Box varejista (Wal-Mart, Target, etc); Drug Store (Walgreens, Duane Reade, etc) e Lojas de Departamento (Macy, Sears, etc.)

O estudo foi conduzido por Zavers pelo Google em colaboração com a Shopper Sciences.

30
jul 2013
0
comentários

Chevrolet premiado.

Chevrolet lança a promoção “Descubra seu Chevrolet Premiado”, estrelada por Rodrigo Faro, que pode render aos consumidores desde um dos novos modelos da marca até um Camaro zero-quilômetro. A ação de comunicação integra o novo posicionamento global da marca, o “Find New Roads”. A Publicis Dialog é a responsável pela promoção, que, por sua vez, representa a nova fase da campanha “Descubra uma Nova Chevrolet” assinada pela Salles Chemistri.

A promoção será realizada de 27 de julho a 31 de agosto em todas as concessionárias da rede no Brasil. O participante terá acesso a “gravatas” Chevrolet – por meio de anúncios de revista, mala direta, eventos ou mesmo no site da promoção e nas próprias concessionárias. Com a gravata em mãos, o participante deve visitar uma das concessionárias Chevrolet e procurar um vendedor. O passo seguinte é responder a pergunta que surge no totem: “Qual a marca de automóveis que lançou 10 novos modelos em menos de dois anos?”

Com a resposta correta, o participante concorre a toda a linha Chevrolet e pode ganhar um carro zero na hora. Caso não seja premiado, ele pode se cadastrar no hotsite www.descubraseuchevrolet.com.br para concorrer a um Camaro, que será sorteado no dia 20 de setembro.

“Nós renovamos toda a nossa linha, lançando 10 novos modelos em apenas 20 meses. A nova campanha convida os consumidores a conhecer de perto a nova Chevrolet, com vantagens exclusivas’’, afirma Hermann Mahnke, Diretor de Marketing da Chevrolet / General Motors do Brasil.

“Com uma mecânica de fácil participação e prêmios tão atrativos, nós esperamos gerar um grande fluxo de consumidores em toda a rede. Afinal, pela primeira vez a Chevrolet sorteia toda a linha em uma grande promoção”, comenta Hugo Rodrigues, COO&Chief Creative Officer das agências Publicis.

Astro da campanha, Rodrigo Faro está no filme produzido pela Paranoid e dirigido por Paulo Vainer sobre a promoção. O apresentador também está em todo o material de mídia impressa, peças de internet e spots de rádio.

Find New Roads

A Chevrolet é a marca automotiva que cresce mais rápido hoje em todo o mundo e na medida em que continua a expandir suas operações globais, está alinhando sua engenharia, design e operações de varejo em torno de um visão única e de uma plataforma de comunicação denominada “Find New Roads”.

Nesta nova plataforma de posicionamento da marca está o seu legado de inovação e compromisso com o consumidor, construído durante mais de 100 anos de história. “Find New Roads” será a pedra angular da marca no desenvolvimento de novos produtos e tecnologias em mais de 140 países e acompanhará todas as suas peças de comunicação.

A Chevrolet está presente no Brasil há mais de 88 anos. No ano passado foram vendidos quase 650 mil veículos Chevrolet no mercado brasileiro, 15% do volume total da marca no mundo.

A marca oferece hoje no país um amplo portifólio, começando com o Celta e passando pelo Classic, Onix, Prisma, Agile, Cobalt, Sonic hatchback, Sonic sedã, Cruze sedã, Cruze Sport6 (hatchback), Malibu, Camaro, o MPV (veículo de múltiplo uso) Spin, os SUVs Captiva e Trailblazer, além das picapes Montana e S10 cabine simples e S10 cabine dupla

No período de 2008 a 2013, graças a investimentos superiores a R$ 5,3 bilhões no Brasil, em expansão e modernização industrial, além da criação de novos modelos, a Chevrolet pode lançar 10 modelos em um período de 18 meses, compreendido entre setembro de 2011 – o primeiro foi o Cruze sedã – e fevereiro de 2013, quando chegou o Prisma.

###

A General Motors Company e seus parceiros produzem veículos em 30 países e a empresa ocupa posição de liderança nos maiores mercados automotivos do mundo. As marcas da GM incluem Chevrolet e Cadillac, além de Baojun, Buick, GMC, Holden, Jiefang, Opel, Vauxhall e Wuling. Mais informações a respeito da empresa e suas subsidiárias, incluindo OnStar, um líder global em segurança veicular, proteção e serviços de informação, podem ser encontradas em http://www.gm.com

No Brasil a GM fabrica e comercializa veículos com a marca Chevrolet há 88 anos. Em 2012 a Chevrolet vendeu no país 642.649 veículos. A companhia tem três Complexos Industriais que produzem veículos em São Caetano do Sul e em São José dos Campos, ambos em São Paulo, além de Gravataí (RS). Conta ainda com unidades em Mogi das Cruzes (produção de componentes estampados), Sorocaba (Centro Logístico Chevrolet) e Indaiatuba (Campo de Provas), todas em SP, além de um Centro Tecnológico, em São Caetano do Sul (SP), com capacidade para desenvolvimento completo de novos veículos. A subsidiária brasileira é um dos cinco centros mundiais na criação e desenvolvimento de veículos. Mais informações podem ser encontradas no site http://media.gm.com/brasil e Twiter:www.twitter.com/GMBPress

—-

Fonte: Giusti

30
jul 2013
0
comentários

Regulamento de promoções serão aprovados digitalmente.

A Caixa Econômica Federal detalhou na manhã desta terça-feira, 30, as mudanças para agilizar o processo de autorização de promoções comerciais, durante o 1° Congresso de Live Marketing, promovido pela Associação de Marketing Promocional (Ampro). Por norma federal estabelecida na década de 1970, cabe ao banco autorizar e fiscalizar este tipo de ação. O prazo para obter a liberação já chegou a levar até 40 dias (hoje está entre 15 e 20 dias).

A Caixa deve colocar em prática, até o final do ano, o Sistema de Promoções Comerciais (SIPMC), plataforma digital que permitirá a anunciantes e agências incumbidas de realizar promoções autenticar os projetos em até sete dias. O envio de documentos, hoje feito via Correios, será totalmente digital. Será possível, inclusive, o acompanhamento do processo em tempo real. “Hoje, se houver necessidade de qualquer correção, enviamos ofício. Com o SIPMC, vamos virtualizar”, explicou Edilson Vianna, gerente nacional de loterias e promoções da Caixa. As mudanças para acelerar o processo burocrático foram defendidas pela Ampro, o que explica o anúncio ter sido feito durante o 1° Congresso.

Hoje, segundo Vianna, o banco conta com 25 profissionais dedicados a autorizar promoções, o que ajudou a reduzir o prazo de finalização dos processos – mesmo com um aumento de certificados emitidos nos últimos dois anos. No primeiro semestre deste ano, foram 906, ante 792 e 645 no mesmo período de 2012 e 2011, respectivamente.

Nova lei
Na apresentação, o representante da Caixa minimizou as críticas que a Portaria 422/13, promulgado na última semana, recebeu ao promover mudanças no setor de promoções comerciais. Disse que se trata apenas de uma interpretação atualizada e condizente com o universo digital, já que a lei original que rege este mercado data dos anos 1970. “Hoje temos uma cabeça muito preparada e simpática a receber planos de promoções criativas”, ressaltou Viana. “Estamos à disposição para trabalhar junto com vocês.”

Fonte: Meio e Mensagem

27
jul 2013
2
comentários

Festa de Santa Rita

Informo aos amigos que não estarei mais prestando assessoria à promoção da Festa de Santa Rita, a partir deste ano, por decisão da nova presidente da entidade, que me enviou correspondência nesse sentido, sem sequer conversar comigo ou saber tudo que vinha sendo feito, com meu planejamento supervisão e relacionamento, nos últimos 12 anos – sem ganho pessoal algum. Ou para saber de que outras formas poderíamos conduzir a comunicação do evento.

Lamento a atitude e deixar de contribuir…e confesso que me espanta cada vez mais a atitude de algumas pessoas que se dizem católicas e cristãs. Só falta tirarem a Santa Rita da publicidade, ou mudarem até o nome do evento, para tentar atrair pessoas de outras religiões. Creiam, não duvido. Do Facebook já retiraram a Santa que motiva aos fiéis.

Deixo, por outro lado, muitas amigas na Associação e Oficinas de Caridade de Santa Rita de Cássia, com as quais compartilhei meu trabalho e o de tantos voluntários nestes últimos 12 anos, que me proporcionam a certeza de que nunca falhamos na promoção do evento. A elas, agradeço o carinho e as orações que sei que fizeram por mim.

Finalizando,  quero agradecer a todos os proprietários de jornais, revistas, rádios e TVs de Curitiba, assim como a parceiros como a Soft Cine, o Sérgio sade, o Aldo Ribeiro (literal Link), o Sena (da Corgraf) e o Mainardes (do Positivo), por todas as doações que fizeram, ao meu pedido, em mídia e produção para a nossa querida Festa de Santa Rita, que neste ano deverá completar 31 anos – se não mudar de nome.

JJ

25
jul 2013
0
comentários

O que você precisa saber sobre concursos nas redes sociais.

Desde que Guido Mantega publicou a Portaria 422/13 do Ministério da Fazenda (veja aqui), quem trabalha com mídias sociais está apreensivo. Perguntas como “O governo proibiu os concursos culturais?” ou “Preciso pedir autorização da Caixa para promovê-los?” estão pipocando nos fóruns de social media. A fim de esclarecer as dúvidas, oAdnews conversou com Isabela Guimarães Del Monde, advogada especialista em Marketing Digital e sócia do escritório Patricia Peck Pinheiro Advogados.

Primeiramente, é preciso esclarecer que o governo não proibiu concursos culturais. O que acontece é que para ser considerado um, a iniciativa precisa seguir algumas características. A portaria do Ministério busca esclarecer quais práticas que descaracterizam o concurso cultural.

“Concursos culturais sempre foram isentos da obrigação de solicitar a autorização porque como o objetivo desses concursos é incentivar a cultura, a arte, o lazer etc. o legislador optou em isentá-los da autorização. Entretanto, com o passar do tempo, muitos concursos que se auto intitulam de concursos culturais eram na verdade promoção comercial que deveria ser autorizada e como não estavam, havia violação da Lei 5.768/71″, esclarece a advogada.

Para Isabela, o objetivo do Ministério da Fazenda é levar as empresas a realizem promoções comerciais autorizadas e também de exigir dos órgãos de autorização (SEAE e CEPCO) uma atuação mais rápida e eficiente ao longo do processo de autorização.

Mas quais são as principais polêmicas na Portaria?

Algumas das disposições previstas já eram cumpridas por quem promovia os concursos, como, por exemplo, a desvinculação à sorte ou ao pagamento. O que vem causando reboliço são algumas das novas características definidas. Veja:

- Proibição do uso de redes sociais para realizar concursos culturais (podem ser usadas apenas como meios de divulgação);

- Proibição de vincular o concurso cultural a datas comemorativas;

- Proibição de entregar produtos e serviços da Promotora como prêmio;

- Proibição de solicitar ao participante o aceite para o recebimento de mensagens de comunicação da Promotora – já era proibido fazer banco de dados com informações dos participantes em concursos culturais (dados devem ser usados apenas para identificar e localizar os participantes), mas agora ficou proibido também solicitar seu aceite para receber comunicações de marketing que não envolvam o concurso.

O primeiro ponto causa bastantes discussões. O próprio Facebook se mostra preocupado com as promoções. Há regras específicas (veja aqui) para a criação de ações do tipo. Você sabia que usar os recursos ou as funcionalidades do Facebook, como o botão Curtir, por exemplo, como um mecanismo de votação para uma promoção é proibido? Pois é.

Em relação ao que o governo chama de “redes sociais”, Isabela diz o seguinte: há uma definição na Portaria 38/2012, expedida pelo Conselho de Defesa Nacional, que estabelece as Diretrizes para o uso seguro das redes sociais na Administração Pública Federal (APF), que as define como “estruturas sociais digitais compostas por pessoas ou organizações conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilham valores e objetivos comuns”.

“Entretanto, essa Portaria só se aplica à Administração Pública Federal, mas podemos aplicar essa definição de redes sociais e podemos ficar cientes que os órgãos públicos sabem que o Facebook, o Twitter, o Instagram, o Pinterest, o YouTube, o Google + etc. são redes sociais”, diz a advogada.

Mas e se o social media perceber que a ação da empresa não se encaixa nas especificações de um concurso cultural? Nesse caso, ele deve pedir regularização para, se o cliente for uma instituição financeira, SEAE (Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda) e para a CEPCO (Centralizadora Nacional de Promoções Comerciais da CAIXA) para empresas dos demais ramos.

Mas atenção: o pedido deve ser protocolado com no mínimo 40 dias de antecedência antes do início da promoção e o órgão pode, por lei, levar no máximo 60 dias para autorizar. “A realidade revela que eles levam bem menos tempo, em média de 15 a 20 dias para autorizar se estiver tudo correto. Se não estiver, o órgão vai pedir alterações ao longo da análise”, explica Isabela.

Se você quer colocar a promoção no ar mesmo desrepeitando as normas, saiba que as punições para concursos culturais que ficarem descaracterizados como tal, ou seja, que tenham alguma das vedações da Portaria 422/13, são a aplicação de multa no valor de até 100% do valor dos prêmios prometidos no concurso e/ou a proibição de realização de promoção comercial por até 2 anos.

O que ocorreu com a Portaria 422 é mais simples do parece: sua ação é concurso cultural ou promoção comercial? Responda a esta pergunta para saber como proceder.

Obviamente, você ainda poderá colocar no ar promoções fora dos padrões pedidos pelo governo, assim como você pode utilizar o celular enquanto dirige. Será por sua conta e risco.

-

Fonte: Adnews

18
jul 2013
0
comentários

Promoção do Club Social/Rock in Rio

O Club Social, da Mondelez Brasil, anuncia seu patrocínio para o Rock In Rio 2013 com a promoção “Fome de Rock e Muito Mais”, que levará os vencedores para o evento deste ano e às edições na Europa, em 2014, e à da América Latina, no ano seguinte. Os três ganhadores receberão também certificados de ouro no valor de R$ 100 mil.

A campanha de divulgação da promoção inclui um filme criado pela Giovanni+DraftFCB com referência aos Beatles. O comercial, produzido pela Fulano Filmes, mostra um vocalista que ganhou a promoção e precisa decidir quais amigos irá levar. A marca investirá, ainda, em ações de mídia digital, realizadas pela agência CuboCC.

Além das viagens, o Club Social sorteará mil pares de ingressos para o Rock In Rio, que acontece em setembro. A promoção inclui o lançamento das edições especiais do Club Social nos sabores Chili Pepper e Chili & Cheddar.

-

Fonte: Meio e Mensagem